20 de ago de 2014

Foi mal mundo, eu vou ser eu.

Todo mundo sabe que a sociedade é feita por um conjunto de normas invisíveis consideradas aceitáveis em relação a tudo - mas tudo mesmo, incluindo, sei lá, unhas e sobrancelhas.
Pois desde que eu me entendo por gente, nunca vi graça nessas normas. Não que eu seja uma pessoa rebelde, longe disso, sou uma pacifista bem comedida, mas não consigo me encaixar no estereótipo 'pessoa loira, bronzeada, torneada, que usa roupa de marca e hashtags'. Porque essa é a nossa sociedade. E ela me olha mal. SEMPRE. Toda vez que eu sou olhada de cima a baixo por estar usando algo relacionado a filmes de terror, toda vez que alguém faz piada perguntando se eu vou ao cemitério e todas as vezes que eu sofri qualquer tipo de diminuição por não ser do jeito que o mundo quer que eu seja.


Me desculpe mundo, eu sei que você é muito legal me dando oxigênio, comida, água e tudo mais, mas eu quero ser um individuo único, eu quero ser eu - e acredite, eu já tentei ser outra pessoa e a experiência foi péssima.
Então me respeitem, pessoas que moram no mundo. Toda vez que, mesmo sendo no Rio de Janeiro, vocês virem não só eu, mais qualquer pessoa que preze por sua individualidade - seja sendo pálido, seja usando uma banana na cabeça, seja somente não se adequando ao que vocês acham legal - não a subestimem. Elas podem ser muito mais cheias de conteúdo do que cascas vazias programadas para um padrão.

E se você falar mais uma vez que é uma fase, eu juro que perco.


"Seja você mesmo. Todas as outras personalidades já têm dono." (Oscar Wilde)

2 comentários:

Mayra Lobão disse...

Você É única... Orgulhe-se sempre disso :3

Dani disse...

As pessoas querem ser diferentes e seguindo os padrões da sociedade acabam todas iguais.
Devemos ser o que somos, as pessoas aprovem ou não.