12 de jul de 2012

Acordo Sobre mim.

Seguro um balão que voa.
Ele é volátil e escapa pelos dedos, assim como os dias. Penso que quase um ano já se passou e me pergunto o que estou fazendo da minha vida, mas não consigo achar a solução. A verdade é que me preocupo muito com tudo; o que vou ser? onde estarei? quando isso acontecerá?
A dualidade presente na minha vida me fere como um espinho, encravada no peito e fazendo jorrar algumas gotas de sangue rubro e vivo, mas acostumada como estou, não sinto mais dor. Aprendi a ter minhas decisões bem colocadas, apesar do Sol ter me dado o signo de Gêmeos. Acho que não tenho tempo pra ser indecisa no curto tempo que possuo aqui.
Pois afinal, mesmo um cidadão que chega a seu centenário tem pouco tempo, muito pouco relacionado ao que perdurará, ao que está em situações terrenas. E quando acaba, ele deseja voltar tudo, mas isso é certamente impossível. Queria ter braços mais longos para alcançar meus desejos rapidamente. Pernas mais curtas para alongar as horas.
Queria poder voltar atrás e não ser fraca, não ser boba e infantil. Acho que se encontrasse comigo numa idade tenra, conseguiria passar por ela sem os arranhões que tenho. Mas será que isso eximiria minhas experiências? Não sei, assim como não sei se hoje será um dia chuvoso ou o céu continuará azul. Tudo que sei é que cresci, formei meus princípios e hoje em dia sou assim.
Não tento mais maquiar o óbvio. Fica ruim com o tempo fingir ser um personagem tirado da sua cabeça para impressionar os outros. Eu sou eu, quer você goste ou não.
O relógio soa mais uma hora.
Quem dera ter pernas mais curtas.



Nenhum comentário: