29 de out de 2008

Live Fast, Die Young

Toda vez que ouço o nome de Eloá no jornal, não consigo imaginá-la como uma criança. Afinal de contas, e menina namorava um cara sete anos mais velho! Quando ela nasceu ele já estava no primário e quando eles começaram a namorar ela estava começando o secundário... Pensando nisso me fez refletir de mim, em meus plenos 12. Brincava de Barbie - sim ainda brincava - gostava platonicamente dos meninos e sonhava em casar com o Kevin dos Backstreet Boys. Um pouquinho diferente, né?! Acho que eu tenho a resposta do porque, e te digo agora: as crianças de hoje em dia não são mais crianças. Elas topam tudo pra se sentirem adultas, e isso inclui namorar um cara que já tá pensando em fazer muito mais do que dar beijos e abraços. Daí você vem e me diz: O amor não tem razão... Será mesmo?! Se fosse assim, desculpem-me, mas eu seria insanamente normal. Porque aceitar tanto ímpar convivendo em minha vida par, não dá. Na pré-adolescência, é hora de correr por aí, ir a festas do sinal, tomar sorvete com as amigas e rir de coisas que adultos não achariam graça... Não se meter em um relacionamento hiper sério que pode, e nesse caso, cobrou um final também hiper sério.

2 comentários:

Tatah Santini disse...

Concordo com vc, as pessoas ficam "tristes" sem conhecê-la, e nem pensam em como era a sua personalidade.
=D

Arlequim disse...

Fato!
Hoje em dia crianças não são crianças.
Não querendo ser grossa, nem estupida, nem nada, mas cada um colhe aquilo que planta.
Ela escolheu namorar com ele, e uma garota que se acha mulher o suficiente pra namorar, também sabe se defender. (Y)

;**