7 de set de 2007

Minha Fé

Ok, ok. Sinto que adiei esse assunto por muito tempo, e muitas pessoas sentem uma curiosidade tremenda para saber a minha relação com a fé. Já tive que fazer uma pauta sobre tal assunto, confesso que fugi um pouco, mas agora arrancarei tudo de meu peito.
Fui criada em uma família católica, então frequentava missas tooodo domingo, fiz primeira comunhão, acreditava em promessas, anjos, rezava toda noite antes de dormir, porque segundo minha avó, quem não reza "dorme que nem um burro e acorda como um cavalo".
Quando tive lições sobre a Idade Média (lê-se: sexta série), conheci a "Santa" Inquisição. Conheci os impostos, os absurdos e resolvi que teria outra religião. Procurei sobre várias, me interessei sobre duas ou três, no final tudo acabava no mesmo: histórias para cobrir a realidade. Por quê a Terra é redonda? Porque Deus (ou o que for) quis. Por quê domingo é o primeiro dia da semana? Porque Deus quis. Oras, eu lhes digo que para mim domingo não é o dia da semana, e sim segunda. E lhes digo que a Terra é redonda por causa de muitas reações cósmicas acontecidas há milhões de anos atrás.
Enfim, não gosto de religião. Me dá náuseas pessoas tentando me convencer de que não se deve doar sangue, nem quando seu filho/pai/mãe/pessoa que ama corre risco de vida. Me dá ódio ter que aturar pessoas tentando me convencer de que eu sou uma pecadora/tenho energias ruins ao redor e tenho que me juntar a algum culto ou seita. Se todos cuidassem do próprio umbigo e parassem de se preocupar com o que eu faço com o meu, o mundo seria perfeito. Mas veja só... Não é.
Afirmo. Eu tenho minhas próprias crenças. Talvez sejam diferentes das suas, talvez não, talvez você me xingue e pare de falar comigo depois de ler isso. Mas da minha fé (ou falta de) cuido eu. Humpf.

Um comentário:

Lucas L³. disse...

Ok né...
Eu concordo. Conheci bem poucas pessoas pra quem a religião era algo mais que uma justificativa ou uma máscara pros absurdos que cometia.
Beijos,
Lucas