26 de mar de 2010

O Medo do Amanhã.

Mudanças me assustam. Eu sei que elas são comuns na vida de todos, mas eu realmente odeio ter que me re-adpatar; Acredite, eu não sou um ser muito mútavel; gosto do meu comodismo gostoso, de sempre tomar meu café com cereais enquanto penso na minha rotina. E o que aconteceu comigo, bem refletido no blog - que brinco que é a janela de minh'alma - foi isso. Acontecimentos não planejados, despejamento da Capricho. Poder ser bobeira pra várias pessoas e eu posso estar fazendo um dramalhão, mas isso mexeu comigo. Não ter sobre o que falar, o vazio me consome... A proporções tamanhas de so dar vontade de fazer listas e algo para prolongar mais o próximo assunto não-enviado. O branco me intimida, me faz pensar que sou menos do que sou e isso me revolta; afinal, seria eu escritora?
Existencialismo é fogo, senhores. E é minha arma contra tudo que me bombardeia e me deixa sem ação. O cego ato de deitar na cama e prorrogar o tempo, esticando em dias, semanas, até ficar impossível retomar.
Espero ter um desabafo em forma de post. E que o albinismo mental dê uma "colorida".

2 comentários:

Leandra N. Barcellos disse...

Durante a maior parte do tempo eu vivo reclamando sobre o fato de que penso demais sobre tudo e isso acaba fazendo com que eu crie problemas na cabeça. Mas não tem nada pior do que não ter nada pra pensar ou não conseguir levar uma linha de pensamento. :/ Mas fica tranquila, que isso logo passa e sua cabeça já se enche de ideias novamente!

Beijos :*

Juliana Stott disse...

Apesar de eu não ter feito parte do tudo de blog, assim que o mesmo acabou eu fiquei sem ideias, sem inspiração, praticamente sem forças pra continuar com o meu blog. Mas as crises de existencialismo são normais e passageiras. Logo vai passar (: Bjs!