10 de jan de 2008

A causa homessexual.

No meio tempo em que recebi a pauta sobre o tal desenho onde um menino tinha 'duas mães', vi que não pude explicar corretamente minha posição sobre a homossexualidade, a bissexualidade, pansexualidade, e sinto que deixei uma péssima impressão sobre minha visão.
Hei de me esclarecer agora, para o delírio dos descontentes, que sabem que não possuo postura negativa para/com esse tópico.
Muito bem, todos sabemos que o mundo está caminhando para a bissexualidade e para os que não sabem, me desculpem, mas ou são extremamente machistas [isso vale para mulheres também] ou vivem trancafiados em bolhas anti-bacterianas e/ou calabouços com máscaras de ferro presas à cara. É natural se admitir bi; é quase como dizer que gosta de sorvete de chocolate. No meu curto período de vida, tive vários contatos que pensavam de forma diferente, inclusive tenho exemplos lamentáveis de não aceitação entre colegas meus e seus pais, o que acho o fim.
E daí se seu filho é homo? Você vai deixar de amá-lo por isso? O que vale no final das contas, não é se ele ama uma mulher, um homem, os dois ou uma cabra? O que vale não é a felicidade? Pois então, deixe sua cria ser feliz e cuidar do que é dele; Afinal de contas, pais criam os filhos pro mundo, não para si mesmos.
Quanto à mim, sou muito bem resolvida com minha opção sexual. E estou aberta à amizades de todos os tipos - até dos apreciadores de cabra.
=]

3 comentários:

Luciano Kronner disse...

Julie
como sempre vc me deixa surpreso com os topicos que vc que escreve e com os assuntos abordados.Só quero dizer que eu admiro muito voce e o seu estilo.
bjuss
Estou ansioso para a sua proxima postagem

Lucas L³. disse...

Olá,
Você se superou. E redimiu mal-entendidos anteriores. Não há nada a dizer além de "Parabéns a você". Foi, sem dúvida, o seu melhor texto.
Beijos,
Lucas

f.a.e.l disse...

Concordo plenamente. O triste é termos ainda que discutir esses temas quando o certo era que a sociedade deixasse cada um viver a sua própria vida. Se nós vivessemos sem se intrometer na vida dos outros o mundo teria muito menos preconceito, violência, xenofobia, enfim...