26 de set de 2007

A Fuga de Julinha

Ocorreu quando eu tinha 6 anos, num sábado de manhã. Minha mãe tinha acabado de brigar comigo por causa de um corte de cabelo maluco que tinha feito em uma boneca. Decidi que estava cansada daquela vida de sempre obedecer aquela moça que não me deixava ser cabelereira, nem fazer furinhos em minhas roupas, nem brincar de exploradora com terra que - segundo ela - estava muito suja. Então, em um de meus momentos loucos, pensei em fugir pra bem longe, pra casa da Xuxa, onde ela me adotaria como sua filha e viveríamos felizes para sempre dançando a musiquinha do arco-íris e entrando naquela nave espacial linda. Arrumei minha malinha [uma mochilinha de plástico com balinhas e uma calcinha] e saí pelo corredor da vila onde eu morava. Quando cheguei no portão e não consegui abri-lo, senti o peso do mundo real e resolvi voltar. Fugir de casa atrás do meu ídolo não foi uma idéia tão brilhante assim. Me contentei em ficar com a moça que me proíbia de fazer o que eu gostava tanto... Depois de um certo tempo, acabei vendo que ela tinha razão em tudo que falava.


Texto para o TUDO DE BLOG da Revista CAPRICHO

Um comentário:

Leila disse...

Xuxa apavora! eu escuto a música do arco iris até hoje no meu ipod :D mas ainda prefiro lua de cristal ;x

:*